Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.fei.edu.br/handle/FEI/378
Title: Atributos de inserção em projetos globais e capacidades locais em subsidiárias de multinacionais brasileiras
Authors: Tarraço, E. L.
Advisor: Bernardes, Roberto
Issue Date: 2016
Abstract: A descentralização das atividades de P&D, como meio de expansão da fonte de recursos e capacidades e exploração dos mercados mundiais, tem sido a tendência de crescimento das organizações. É cada vez maior o interesse nos estudos das subsidiárias de mercados emergentes devido à importância estratégica do desenvolvimento das capacidades locais em inovação para participação em projetos globais. Por meio das lentes teóricas de negócios internacionais (HAKANSON; NOBEL,1993; FLORIDA, 1997; LE BAS; SIERRA, 2002) em globalização da inovação (GAMMELTOFT, 2006; GERYBADGE; REGER, 1999; BOUTELLIER; GASSMANN; VON ZEDTWITZ, 2008; NARULA; ZANFEI, 2003) e dos trabalhos de desenvolvimento de capacidades locais, foi proposto que a inserção em projetos globais pelas subsidiárias brasileiras está associada ao desenvolvimento das capacidades de inovação local em processos e produtos, e que estas relações são moderadas pelas capacidades locais de P&D (D’AGOSTINO; SANTANGELO, 2012; ASAKAWA; LEHRER, 2003) e pelos financiamentos direto e indireto (FRANCO; RAY, S.; RAY, P.K., 2011; ERNST, 2006). A partir de elaboração de estudo quantitativo baseado em uma amostra de 111 subsidiárias estrangeiras no Brasil, analisada por meio de regressão múltipla, os resultados demonstram que a participação das subsidiárias brasileiras em projetos globais de inovação é influenciada pelas capacidades locais de inovação em processos e produtos. As evidências, porém, são insuficientes para concluir que as capacidades de P&D e financiamentos recebidos tenham algum efeito no aumento ou redução de força das relações das capacidades locais de inovação em processos e produtos inseridas em projetos globais. O possível argumento para a ausência da moderação de P&D é encontrado no histórico de maior participação das subsidiárias brasileiras em cadeias globais de produção mais do que em redes de globais de P&D, ocasionada pelo cenário de baixa atividade em inovação. Os resultados confirmam os esforços de desenvolvimento das capacidades locais de inovação pelas subsidiárias estrangeiras no Brasil (ARIFFIN; FIGUEIREDO, 2007; BOEHE; ZAWISLAK 2007; ATHREYE; TUNCAY-CELIKEL; UJJAL, 2014) e indicam de forma distinta a relação das capacidades globais de processos e produtos com a participação em projetos globais. Esta pesquisa contribui para a gestão das políticas públicas a partir da identificação da ausência de apoio estatal por meio da integração dos investimentos diretos e indiretos com as políticas de incentivos existentes que estimulem o mercado e reflitam no desenvolvimento da inovação no país. As subsidiárias brasileiras têm um caminho a ser trilhado para a evolução de sua atuação como inovadoras globais dentro das multinacionais com a concentração de atividades de adaptação de produtos. Elas já apresentam, porém, resultados significativos em capacidades de inovação global no desenvolvimento de novos produtos e processos e seguem a evolução dos demais mercados emergentes quanto às capacidades tecnológicas. Os resultados desta pesquisa reforçam as recomendações de Marin e Costa (2013) e Marin e Bell (2010), segundo as quais, para o avanço na inovação das subsidiárias brasileiras, é insuficiente que as políticas se preocupem apenas em atrair investimentos diretos estrangeiros, mas é necessário promover a integração das subsidiárias locais de forma global e desenvolver suas capacidades locais pela atração de atividades de inovação. Com políticas que considerem estes fatores, frente ao importante papel dos investimentos para as multinacionais, não só as capacidades locais de inovação serão desenvolvidas promovendo a evolução da subsidiária, como também a economia de empresas locais do mesmo setor (CRESCENZIA; GAGLIARDI; IAMMARINO 2015).
The decentralization of R & D activities, as a means of expanding the supply of resources and capabilities, and exploitation of world markets has been the growing trend of organizations. A growing interest in studies of the subsidiaries of emerging markets because of the strategic importance of the development of local capacity for innovation to involvement in global projects. Through the theoretical lenses of international business (HAKANSON; NOBEL, 1993, FLORIDA, 1997; LE BAS; SIERRA, 2002) on globalization of innovation (GAMMELTOFT, 2006; GERYBADGE; REGGER, 1999; NARULA; ZANFEI, 2003) and the work development of local capacity was proposed that the insertion in global projects by Brazilian subsidiaries is associated with the development of local innovation capacities in processes and products, and that these relationships are moderated by the local capacities for R&D (D’AGOSTINO; SANTANGELO, 2012; ASAKAWA; LEHRER, 2003) and the direct and indirect financing (FRANCO; RAY, S.; RAY, P.K., 2011; ERNST, 2006). From preparing quantitative study based on a sample of 111 foreign subsidiaries in Brazil, analyzed using multiple regression, the results show that the participation of Brazilian subsidiaries in global innovation projects is influenced by local innovation capacities in processes and products but the evidence is insufficient to conclude that the capabilities of R & D funding received and have an effect of increasing or reducing the strength of the relationships of local innovation capacities in processes and products entered in global projects. The possible argument for lack of R & D moderation founded in the history of greater participation of Brazilian subsidiaries in global production chains than in networks of global R & D, caused by the local scenario of low activity in innovation. Brazilian subsidiaries have a way to go for the evolution of its role as a global innovator within multinationals with the concentration of adapting products activities, but is already showing significant results in overall innovation capabilities to develop new products and processes and follows developments in other emerging markets as the technological capabilities. The results of this research reinforce the recommendations of Marin and Costa (2013) and Marin and Bell (2010), that is insufficient to advance innovation of the Brazilian subsidiaries that political worry in just attract foreign direct investment, which is necessary to promote integration of local subsidiaries globally and develop local capacity by attracting innovation activities. With policies that consider these factors, because of the important role of investment for multinationals, not only local innovation capabilities will be developed by promoting the development of the subsidiary, but also the economy of local companies in the same sector (CRESCENZIA; GAGLIARDI; IAMMARINO 2015)
Keywords: Capacidade inovadora
Projeto global de P&D
Inovação em mercados emergentes
Publisher: Centro Universitário FEI, São Paulo
DOI: https://doi.org/10.31414/ADM.2016.D.127663
URI: https://repositorio.fei.edu.br/handle/FEI/378
Appears in Collections:Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
fulltext.pdf2.79 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.